Viagem Técnica ao Chile

Graças à vida, que me deu tanto
Deu-me o ritmo dos meus pés cansados
Com eles andei por cidades e charcos
Praias e desertos, montanhas e planícies
E pela tua casa, tua rua, teu pátio.
(Violeta Parra, trecho da canção Gracias a la vida)

Entre os dias 03 a 10 de Setembro, nosso Curso de Arquitetura e Urbanismo realizou mais uma viagem técnica, cujo destino desta vez foram as cidades de Santiago, Valparaíso e Viña del Mar, no Chile.

Estação Mapocho
Estação Mapocho

Acompanhados pelos professores Clevio Rabelo e Beta Carvalho e pelos coordenadores do curso Peter Monteiro e Mauro Motoda, 69 alunos de vários semestres tiveram a oportunidade de conhecer in loco obras fundamentais do país que é uma das principais referências contemporâneas de qualidade na área da arquitetura e do urbanismo.

Parque das Esculturas
Parque das Esculturas

Durante as aulas dadas foram destacadas as questões que os arquitetos locais tomam como ponto de partida para a definição de seu modo particular de projetar: a relação com a geografia e o clima, o uso de materiais variados (concreto, madeira e metal), a contribuição à questão sísmica, a sustentabilidade, o desenho das estruturas de suporte. Ao todo foram de mais 30 edifícios e espaços públicos, entendidos para além de simples imagens: percebidos a partir da experiência do uso, da sensibilização da escala e do contexto de inserção das obras, fatores fundamentais para o amadurecimento do aprendizado, principalmente em tempos de realidades virtuais, Google Street View, blogs e sites de arquitetura, etc.

Viña del Mar
Viña del Mar

Obras sensíveis de arquitetos como Smiljan Radic, Cecília Puga, Sebastián Irarrázaval, Enrique Browne, Cristián Undurraga, Isquierdo & Lehmann, além do já festejado Alejandro Aravena (+Elemental, prêmio Pritzker 2016) compuseram um panorama rico e variado de soluções, que abraçaram desde projetos de museus, centros culturais e edifícios universitários – um deles o Campus Creativo Andrés Bello, afiliado à Rede Laureate – até intervenções no patrimônio edificado, em escalas mais discretas ou considerando operações de largo espectro, como os projetos urbanísticos de parques e orlas fluviais, objetos muito frequentes no desenho da capital Santiago.

Visita campus Andrés Bello
Visita campus Andrés Bello

Além do foco nos projetos contemporâneos, a viagem não deixou de abordar os aspectos históricos de constituição das cidades, as arquiteturas coloniais fundadoras, as obras de caráter nacionalizante, os movimentos ligados ao final do século 19 e início do 20, assim como uma ampla gama de vanguardas modernas que modelaram a produção local a partir dos anos 1930.

Visita campus Andrés Bello
Visita campus Andrés Bello

Com a Cordilheira dos Andes sempre presente de um lado e o Rio Mapocho, os Cerros Santa Lucia e San Cristóban do outro, estudar arquitetura e urbanismo em Santiago foi perceber a magnitude da natureza, com a qual o homem precisa estabelecer um diálogo para além da simples ideia da dominação.

Conheça mais sobre o curso:  https://goo.gl/1Nrba0

1 comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *